Reforma do Bolsa Família 2021

Reforma do Bolsa Família 2021: haverá mudanças no programa?

Uma das medidas que o governo de Jair Bolsonaro mais queria tomar é realizar a reforma do Bolsa Família. Faz algum tempo que eles vem prometendo que iriam fazer isso. Inicialmente pretendiam até mesmo acabar com o programa em definitivo e começar um novo.

No entanto, a ideia foi rechaçada e passaram a estipular somente reformas nos benefícios. Contudo a pandemia voltou com força, o que fez o povo pressionar fortemente os políticos para que fosse lançado novas rodadas do auxílio emergencial para que a população pudesse lidar com a situação.

Devido ao lançamento dessas parcelas, o presidente Jair Bolsonaro veio através de suas redes sociais avisar que a reforma do Bolsa Família seria adiada. Para que agora a equipe econômica focasse na viabilidade das novas parcelas do auxílio emergencial. Nem todo mundo ficou contente com essa notícia, já que muitos esperavam que os dois fossem lançados.

Por isso, Bolsonaro tentou explicar melhor o porquê da medida e a explicação dele, assim como mais fatos sobre o assunto serão relevados na sequência do texto para que você possa compreender as atitudes. É válido informar que a política na nossa capital está fervilhando, por isso a toda hora estão surgindo novas informações, então a situação pode mudar.

Leia também:

Bolsa Família fora do teto: como fica o benefício agora?

Reforma do Bolsa Família

Em uma transmissão na última semana, o presidente da república Jair Bolsonaro avisou que está adiando os planos da reforma do Bolsa Família para o mês de julho. Ele afirmou que esse projeto que iria incluir um aumento do valor do Bolsa Família e criação de novos benefícios terá seu lançamento adiado devido ao auxílio emergencial.

Leia Também  Fiscalização Bolsa Família 2021 - Quem Será Avaliado?

Segundo ele, haverá nos próximos 4 meses pagamentos de parcelas de R$ 250,00 para as pessoas mais necessitadas. Assim, conforme a nova agenda, a implementação da reforma do Bolsa Família só vai vir a ocorrer em julho.

O que vem acontecendo no momento são muitas discussões e trabalho dentro do governo para tentar definir como vai ocorrer o pagamento das novas parcelas do auxílio emergencial. Sendo esse um dos motivos do adiamento da reforma do Bolsa Família.

As expectativas iniciais era que a reforma do Bolsa Família fosse lançada em março. Contudo, devido à grande pressão popular pedindo a volta do auxílio emergencial e a diminuição da aprovação do presidente, lançar novas rodadas do auxílio emergencial se tornou prioridade.

Bolsonaro questiona a urgência do auxílio

O presidente tem o costume de fazer lives em sua página pessoal do Facebook, e foi lá que o mesmo informou que haveria a suspensão da reforma do Bolsa Família e que isso era de total responsabilidade do lançamento do novo auxílio emergencial.

Segundo ele, era inviável que fosse mantida a manutenção dos dois projetos ao mesmo tempo, devido a necessidade dos membros da parte econômica debateram a mesma questão. Assim, como a quantidade de orçamento necessário para isso.

Ele revelou fatos como que no final do pagamento das 4 parcelas do auxílio emergencial ele espera que a reforma do Bolsa Família seja lançada. Dando assim a entender que o lançamento será em julho, e que esse era o objetivo dele

Jair Bolsonaro também deixou claro que está conversando com os representantes da sua equipe na Câmara e no Senado. Para assim fazer com que as decisões sejam tomadas em conjunto e que todos estejam cientes da situação.

Leia Também  Bolsa Família suspende calendário e programa fica offline

A declaração dele foi no sentido de deixar bem claro que não será só o presidente e sua equipe econômica os responsáveis pelo projeto. Mas, sim, todo o Legislativo, uma vez que eles são importantes já que terão que votar algumas medidas.

No entanto, não fugindo do padrão no fim de sua transmissão voltou a ressaltar que a capacidade do endividamento do governo está no limite. Logo, existe a necessidade de se tomar alguns cuidados ao lançar essas novas medidas.

Como deve ser a renovação do Bolsa Família?

A medida que foi mais ressaltada sobre a reforma do Bolsa Família é que o valor do benefício seria alterado passando as mensalidades médias de R$ 190,00 para R$ 200,00. Causando um pequeno aumento no benefício das famílias que deve somente ser o suficiente para compensar a inflação.

Outros benefícios também devem ser criados para motivar as crianças e adolescentes a terem um bom rendimento escolar. Sendo os principais entre eles os seguintes:

  • Uma bolsa mensal de R$ 100,00, mais um prêmio anual de mérito científico e técnico de destaque de R$ 1.000,00;
  • Auxílio-creche mensal para cada criança o valor seria de R$ 52,00;
  • Um bônus anual para o melhor aluno de R$ 200,00.

Com esses novos benefícios é esperado que o auxílio consiga contribuir mais na vida das pessoas beneficiadas. Assim melhorando a condição delas evitando que crianças tenham que trabalhar cedo e assim possam se focar unicamente na escola. Que em teoria é o caminho que dará para elas um futuro melhor.